Domingo, 5 de Agosto de 2007
Ponto da Situação

A CUDAP continua a sua luta em Defesa da Água Pública, e contra a total mercantilização daquele que é um dos mais necessários, senão mesmo o mais necessário dos recursos à existência Humana.

A exploração levada a cabo pela empresa Águas do Planalto (AdP) continua a ter a cobertura das Câmaras Municipais da sua área de abrangência. O encerramento duma grande maioria dos fontenários e a colocação de contadores nos restantes demonstra a conivência dos executivos autárquicos. Estes comprometeram-se a financiar as Juntas de Freguesia por forma a que estas possam fazer face a mais esta despesa escusando-se assim a assumir que não acautelaram devidamente o livre acesso das populações à água quando procederam a alienação do seu dever de gestão da distribuição da água para consumo.

São uma vez mais cúmplices do enriquecimento desta empresa quando entregam de «mão-beijada» uma rede de condutas de distribuição em baixa totalmente remodelada, responsabilizando-se ainda pela sua manutenção em caso de avaria ou ruptura.

O secreto contrato elaborado entre a Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão (AMRPB) e a AdP contém um providente artigo 21º que faculta à primeira a possibilidade de pedir à segunda que inclua na factura sobretaxas com o fim de financiar a construção e reparação de infra-estruturas. Assim, o valor que vemos na alínea “Artigo 21º do Contrato” reverte na totalidade para a AMRPB. Ultrapassa o meio milhão de euros o valor cobrado anualmente ao abrigo desta sobretaxa.

Ao valor anterior temos ainda que somar o aluguer do contador. Este valor, por ano, pode ir dos 30 aos 120 euros, aumentando a facturação da AdP em mais um milhão e meio de euros por ano. É de referir que um contador de iguais características aos alugados pela AdP para o consumo doméstico custa no mercado entre 30 e 50 euros.

Esta empresa garante com estas duas parcelas um rendimento fixo anual de mais de 2 milhões de euros.

Como agravante da exploração e do péssimo serviço público prestado por esta empresa há ainda a adicionar o encerramento dos postos de atendimento concelhios, sendo concentrado todo o processo de serviço ao público na sede em Mosteiro de Fráguas.

Assim, a CUDAP informa que vai lançar, nos 5 concelhos abrangidos pela AdP, um abaixo assinado com a finalidade esclarecer ao público este contracto de concessão, e levar as autoridades competentes à discussão de um acordo que claramente prejudica os interesses das populações e serve tão só o interesse empresarial de aumento de lucros.

Em Defesa da Água Pública!


sinto-me:

publicado por cudap às 12:00
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

I Encontro Sobre as Quest...

Moção em Defesa da Água P...

Moção pela Gestão Pública...

I Encontro Sobre a Questã...

I Encontro Sobre as Quest...

Comunicado

Porquê Não Privatizar

...

Sessões Realizadas

Comunicado de Imprensa

arquivos

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Fevereiro 2008

Outubro 2007

Agosto 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

Contador

Website Statistics
subscrever feeds